Quarta-feira, 26 de Março de 2008
Locais de escrita - Tormes

   A Cidade e as Serras




     "Desconfiado (Jacinto), provou o caldo que era de galinha e rescendia. Provou — e levantou para mim, seu camarada de miséria, uns olhos que brilhavam, surpreendidos [...]. E sorriu, com espanto: - Está bom!" Estava precioso: tinha fígado e tinha moela: o seu perfume enternecia: três vezes, fervorosamente, ataquei aquele caldo."




Onde hoje estão flores, antes depenavam-se galinhas




    "E pousou sobre a mesa uma travessa a transbordar de arroz com favas. Que desconsolo! Jacinto, em Paris, sempre abominara favas! ... Tentou todavia uma garfada tímida — e de novo aqueles seus olhos, que pessimismo enevoara, luziram, procurando os meus. Outra larga garfada, concentrada, com uma lentidão de frade que se regala. Depois um brado: - óptimo!... Ah, destas favas, sim! Oh que fava! Que delícia!"



A Maria Leonor "No Caminho de Jacinto"



tags:

publicado por mborges às 19:18
link do post | comentar | favorito

Sábado, 22 de Março de 2008
Sardoal - Capelas
    " Notícias publicadas na Imprensa Regional, por volta de 1890, referem o retomar da grande tradição das Cerimónias Religiosas da Semana Santa na Vila de Sardoal, com particular destaque para as Capelas enfeitadas com floras e verduras,(...).
    (...) Quando na tarde de Quinta-Feira Santa se abrem as portas das Igrejas e Capelas da Vila de Sardoal e se podem apreciar os artísticos arranjos de flores e verduras que atapetam  o seu chão, quais quadros temporários dos discípulos do Mestre de Sardoal(...)"
    
  in Gonçalves, Luís Manuel, Festividades Religiosas do Concelho de Sardoal

Igreja da Misericórdia
2007

Garantindo o futuro!


2006


2005

tags:

publicado por mborges às 20:56
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sexta-feira, 21 de Março de 2008
PEQUENO MANIFESTO PARA O OPTIMISMO DOCENTE

 

            Eu não me recordo do nome dos Ministros da Educação do meu tempo de estudante. Por muito que me esforce não consigo encontrar um só nome na minha memória. Não tenho a mais pequena ideia da importância que tiveram na minha vida.: se gordos ou magros, altos ou baixos, justos ou injustos. Aos meus olhos de criança não existiram.

            Recordo-me com reluzente memória, dos meus professores de sempre: da carinhosa firmeza do professor Silvano; do sempre bem disposto Professor Martins; da terna poesia da Professora Teresa Aparício; do generoso atento Professor José Abreu; da bondade do Professor José Rei; do sempre jovem Professor Júlio Leitão (é verdade! foi meu professor, como o tempo passa!) do genial Professor Eurico Carrapatoso, etc. Muitos tiveram igual importância, de muitos me recordo com igual memória.

            Os tempos mudam. Os dias que hoje atravessamos, carregados de novos desafios, clamam por bom senso e lucidez. Estamos em tempo de avaliação. Constante avaliação.

             Avaliação? Que novidade! Os meus avaliadores de sempre passam por mim e dizem-me: “Olá Professor. Não se recorda de mim?” e eu respondo “Claro que me recordo rapaz, estás um homem! Como cresceste!”

            As reformas vêm, os ministros passam, os professores ficam para toda a vida.

           

Miguel Borges



publicado por mborges às 21:25
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 10 de Março de 2008
É preciso agir
Primeiro levaram os comunistas
Mas não me importei com isso
Eu não era comunista

Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário

Depois prenderam os sindicalistas
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou sindicalista

Depois agarraram uns sacerdotes
Mas como não sou religioso
Também não me importei

Agora levam-me a mim
Mas já é tarde.

Bertold Brecht (1898-1956)

tags:

publicado por mborges às 18:34
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 7 de Março de 2008
Educação
   
    Na revista Visão de ontem (Edição nº 783 ) foi publicado um excerto de um texto meu. Aqui fica o texto completo:

    "Estou farto da "maioria" e da grande maioria da nossa classe política. Uma classe sem classe. A coragem demonstrada por alguns políticos (primeiro-ministro, ministra da educação, etc.) é elogiada por muitos. Coragem não é uma qualidade exclusiva dos bons.
    Tenho 42 anos, sou professor e pai de 4 filhos. Na minha vida participei apenas numa manifestação,foi no dia 1 de Maio de 1974, tinha 8 anos, fui pela mão do meu pai. No próximo dia 8 irei à segunda, com os meus filhos pela mão.
    Pela Educação, pela Saúde, pela Justiça... pelos meus filhos, tudo farei para que José Sócrates abandone o governo e nunca mais se aproxime de um cargo político."

Com os meus agradecimentos à revista VISÃO



publicado por mborges às 11:13
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Sábado, 1 de Março de 2008
José Sócrates

            Tenho a sensação que José Sócrates deixará cair a ministra da educação na próxima semana, como forma de tentar desmobilizar a manifestação do dia 8 de Março. Não interessa, estou tão farto dela como dele.

            Tenho 42 anos, participei apenas numa manifestação. Foi no dia 1 de Maio de 1974, tinha 8 anos, fui pela mão do meu pai. No próximo dia 8 irei à segunda, com os meus filhos pela mão.

            Pela Educação, pela Saúde, pela Justiça… pelos meus filhos, tudo farei para que José Sócrates deixe de governar e nunca mais se aproxime de um cargo político.



publicado por mborges às 08:51
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Coisas da Vida
Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


posts recentes

Filarmónica

Locais de Escrita - Romar...

O Henrique "partiu"

Mia Couto

OLA - Orquestra Ligeira M...

Por caminhos...

Sem palavras...

Bobby McFerrin e Mocarta

Grupo Mocarta

Jorge Coelho

arquivos

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

tags

todas as tags

links